top of page

O CABOCLO É NOSSO, É DE CAMAÇARI!



 

O capitão-mor dos índios da Vila de Abrantes, Joaquim Eusébio de Santa Anna, é um dos principais heróis das lutas pela Consolidação da Independência do Brasil negligenciado pela historiografia oficial.

 

Quando se faz referência à figura dos indígenas e caboclos que atuaram na guerra, não podemos esquecer que a maioria desses bravos guerreiros, eram oriundos da Vila de Abrantes, a primeira vila indígena do Brasil e também dos antigos aldeamentos do Recôncavo Norte, a exemplo do Espírito Santo, Rembé (Arembepe), Barra do Pojuca, Monte Gordo, Capuame, São João, e Açu da Torre, guerreiros que desde o século XVI eram arregimentados pela Casa da Torre de Garcia D’Ávila para defesa da capitania e depois Província da Bahia.

 

Joaquim Eusébio de Santa Anna foi um caboclo tupinambá, natural da Vila de Abrantes, que participou ativa e intensamente desde o início de todo o processo que culminou na expulsão dos portugueses da Bahia.

 

Disse Cipriano José Barata de Almeida,

 

“[...] e até em os nossos dias vimos o caboclo Eusebio de Santa Anna capitão mór da Villa de Abrantes, ser dos primeiros que obrárão na revolução constitucional na Bahia, em o dia 10 de Fevereiro do anno passado, ostentando o mais desmarcado valor. E oferecendo a vida pela salvação da Pátria.

 

Documentos: Requerimento do capitão-mor dos índios da Villa de Abrantes, Joaquim Euzebio da Santa Anna, solicitando que se efetue o pagamento do 1º Quartel da Vila de Abrantes. Diário das Cortes em Lisboa, datado de 13 de agosto de 1822.

 

Ilustração: Kalundewa (2022).

Foto Instagram

Por diego_kopke

 

25 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page