top of page

Disputa política em Camaçari promete acirramento entre principais correntes do Estado



Eleições em um dos principais polos econômicos da Bahia devem focar em legados de gestão e infraestrutura

Camaçari, reconhecido como o segundo maior PIB da Bahia e o quarto em população, está prestes a se tornar palco de uma das mais importantes e disputadas eleições do ano. O município, com mais de 300 mil habitantes, testemunhará o embate entre as maiores forças políticas do estado.

 

De um lado, a candidatura de Flávio Matos (União), atual presidente da Câmara de Vereadores e endossado pelo prefeito em exercício Antônio Elinaldo (União). Do outro, o influente Luiz Caetano (PT), secretário de Relações Institucionais do estado e ex-prefeito de Camaçari, apoiado pelo governo estadual.

Além dos principais candidatos, o cenário é diversificado com a presença de Oswaldinho Marcolino (MDB), crítico da gestão atual e ex-membro do governo de Elinaldo, assim como a empresária Sineide Lopes (Republicanos) e Cleiton dos Santos (Novo), que também almejam o cargo executivo municipal.

 

As campanhas para as eleições de Camaçari em 2023 devem centralizar o debate no legado das administrações municipal e estadual. Questionamentos sobre infraestrutura e bloqueio de vias para obras podem ser pontos críticos para Flávio Matos, enquanto Luiz Caetano pode ter que enfrentar críticas relacionadas à saúde, tanto em aspectos da regulação estadual quanto de sua última gestão municipal no setor.

Relata Bahia

Fotos google

Por: Bruno Cordeiro

10 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page