top of page

As Páscoas de Pessach




Finalizamos a quaresma esta semana, entre  domingo de Ramos ao da Páscoa cristã.Jesus não comemorou esta Páscoa com ovos de chocolate e pernil ou bacalhau .

Ele comemorou Pessach. A festa máxima do judaísmo , a festa dos pães sem fermento. Peregrinou inclusive para ter seu fim numa Páscoa . Pesssach significa passagem e alude a saída do povo hebreu do cativeiro no Egito . Sim, as 10 pragas, as tábuas da lei, quarenta anos no deserto… o Pentateuco ( os cinco livros da lei da Torá, ou velho testamento ) . Nesta festa na tradição judaica acende-se a Menorá, uma vela por dia até a Páscoa e é especial no Shabbath ( ou sábado - que se inicia assim que se avistam três ou mais estrelas no céu da sexta) confluem duas datas sagradas e Jesus ,como bom judeu, assim festejou .Enquanto no judaísmo todas as noites comem alimentos que tem significado( ervas amargas simbolizando os anos de cativeiro; pães sem fermento simbolizando a falta de tempo nos preparativos da fuga , dentre outros mais), cada país  de tradição cristã  adota uma forma peculiar . Nos Estados Unidos seguem em procissões e come-se Peru. Na Espanha abstém-se de carne e não se partilham ovos de chocolate .Na Bahia , por exemplo ,é comum a comida de azeite de dendê e frutos do mar( mariscada, moqueca de Siri e etc) , mas a lembrança de ser a maior festa da cristandade está se apagando. Pois também é uma das comemorações mais violentas ( acidentes de carro, agressões e assassinatos) , rivalizando  ao carnaval . Antigamente era costume  almoçar em família e no final da tarde assistir um filme de Jesus ou Moisés. As tradições tem uma função : Relembrar o passado e passar isto  para as novas gerações .

Infelizmente isto se perderá se não adotarmos hábitos de valor dentro de casa. Lembrar do exemplo de quem há mais de dois mil anos deu sua carne e sangue em sacrificio por nós .

 

David Vazquez Jacob

 

A cruz do rochedo

 

No alto

Uma Cruz divisa vento e pedra

sobre o rochedo.

No monte sorrindo ao crepúsculo

Deus Assobia nas corredeiras

Mas me ouve daqui de baixo

as preces que sobem,

Como o incenso ?

E quando os olhos fecho?

Dizei-me do que falam

Os passaros nos arpegios!

Será que estou no caminho?

Quando olho para trás do meu desespero

Pai , perdoa-me o que não entendo

 

David Vazquez Jacob







48 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page